Escola de Musica Diego Scliar

Novidades - News

view:  full / summary

Ricardo Confessori

Posted by Diego Scliar on August 8, 2015 at 11:35 PM Comments comments (0)

A Escola de Música Diego Scliar tem o prazer de apresentar um dos maiores nomes do Metal, Ricardo Confessori em workshop e aulas particulares.

No dia 29 de agosto, sábado, o grande baterista Confessori, famoso por suas levadas nas bandas Angra e Shaman estará em Copacabana fazendo um workshop mega intimista para aproximadamente dez pessoas. E na parte da tarde ele se junta ao quadro de renomados professores da Escola e estará disponível para aulas particulares.

 

Será um dia de oportunidades únicas para os amantes do Metal e da bateria. No workshop, previsto para começar às 11h30, Ricardo Confessori abordará vários temas como: bumbo duplo, viradas e levadas eternizadas em gravações do Angra e muito mais. Haverá entrega de certificados, sessão de foto e venda de métodos e DVDs com desconto especial! Já no turno da tarde ele dará aulas particulares na nossa sala com duas baterias equipadas com pedal duplo. As aulas particulares podem ser de 30, 60 ou mais minutos.

 

Então, vai perder essa oportunidade?

 

Para mais informações sobre os eventos entre em contato

Escola de Música Diego Scliar

Rua Barata Ribeiro 391 sala 505 - Copacabana

21-3287.4401 Secretaria

21-97131.9179 Diego Scliar (Vivo)

21-97984.3444 Diego Scliar (Tim)

[email protected]

www.scliar.com

 

 

 


Muita musica em 2015

Posted by Diego Scliar on December 22, 2014 at 9:50 PM Comments comments (0)

Aulas de Canto - Teatro Musical em Grupo

Posted by Diego Scliar on October 18, 2014 at 8:20 PM Comments comments (0)

Workshop e concerto em Belem

Posted by Diego Scliar on October 18, 2014 at 8:20 PM Comments comments (0)

Rumo ao hexa!

Posted by Diego Scliar on June 12, 2014 at 3:35 PM Comments comments (0)

Horario junho

Posted by Diego Scliar on June 11, 2014 at 11:55 PM Comments comments (0)

Dias com horário extraordinário da Escola no mês de junho devido à Copa e feriados.


Quinta, 12/06 aberta até às 14h45

 

Terça, 17/06 aberta até às 13h45

 

Quarta, 18/06 aberta até às 12h

 

Quinta, 19/06 fechada

 

Segunda, 23/06 aberta até às 14h45

 

Quarta, 25/06 aberta até às 12h

Estudo

Posted by Diego Scliar on June 10, 2014 at 1:20 PM Comments comments (0)

Workshop com Rayford Griffin

Posted by Diego Scliar on May 25, 2014 at 10:40 PM Comments comments (0)

O Baterista - Lobao

Posted by Diego Scliar on May 20, 2014 at 7:40 PM Comments comments (0)

Um dia desses, em visita a uma redação de jornal, uma das editoras, talvez por ca­coe­te de profissão, perguntou qual era a minha formação. Sem pensar muito, respondi: “Sou baterista. Baterista autodidata”.

 

Refletindo melhor depois, vi que a resposta não poderia ser outra. Penso como baterista, percebo e deduzo o mundo ao meu redor como baterista. Expandi meu universo de interesses e angariei uma série de outros ofícios a partir desse.

 

Tocar bateria, pra mim, se confunde com o tempo em que aprendi a andar. Talvez por ter adquirido sozinho e tão cedo essa habilidade, acabei por desconfiar de qualquer tipo de professor que não fosse aquele que designasse.

 

Todas as pequenas descobertas que fazia quando criança, e que me causavam intensas alegrias, eram sempre relacionadas ao fato de tocar bateria: todo número ímpar somado a si mesmo vira par. Toda proparoxítona é uma quiál­te­ra. O ritmo ternário induz ao círculo, à espiral — daí a valsa. O binário tem a ver com o sexo, com a guerra — por isso o samba, a marcha.

 

Todo problema virava uma questão a ser resolvida através da bateria. Ansiedade? Ah, se eu puder tocar cada vez mais lentamente, aniquilarei a ansiedade! Sim, pois se você estiver ansioso jamais conseguirá seguir um andamento lento com conforto e naturalidade (experimente baixar no seu celular um daqueles aplicativos de metrônomo e tente acompanhar um ritmo qualquer com os dedos. Em seguida, vá diminuindo gradativamente o andamento e verá a dificuldade que é manter a precisão na proporção em que ele cai).

 

Percebi que, quanto mais se tem domínio sobre o andamento lento, mais maturidade musical se adquire. E isso vale para o resto das coisas da vida. Do sexo à conversa de botequim.

 

Quem sabe toda criatura que ama seu ofício seja conduzida a enxergar o mundo sob a ótica dessa atividade. Para mim é assim. A bateria me apresentou conceitos como temperança, arrojo, contenção, paciência, concentração, precisão e também convicção (essa não tem porcentual: se você é 99,9% convicto, você é um vacilão). Também me ensinou a ver o outro: para saber tocar, antes de mais nada, é preciso aprender a ouvir. E a respirar, imaginar, entender o silêncio e o tempo.

 

Minhas primeiras indagações sobre a alma tiveram a mesma origem: vieram da relação de gratidão que passei a ter com a minha independência motora. Afinal, se eu possuía membros de uma solicitude comovente (meus pés, meus braços, meu calcanhar — todos em sincronia com a minha vontade), onde minha alma habitaria? De onde partiria a vontade de organizar as ordens para o resto do corpo? A partir de que ponto eu não teria mais a fronteira que separa o que é meu (meu corpo) do lugar que eu verdadeiramente habito?

 

E assim, impelido pela curiosidade e pela autoconfiança que a bateria me proporcionou, parti para outras várias atividades. Escrever foi uma das primeiras. Quando escrevia, sentia que as vírgulas eram as viradas dos tambores. A exclamação, a explosão dos pratos. A poesia, o fluir sonoro de uma levada.

 

Tocar um instrumento nos desenvolve profundamente como indivíduos e nos educa para conviver numa coletividade — o aprendizado deixa clara a ordem natural das coisas: primeiro é preciso construir-se.

 

Por isso decidi fazer esta pequena homenagem ao meu principal e primeiro ofício — um sinal de gratidão e amor àquilo que me tornou uma pessoa melhor, mais útil e mais criativa. Desejo do fundo do coração que cada leitor experimente intensamente essa paixão.

 

http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/o-baterista


Rss_feed

Facebook Fanpage Box

Testimonials

  • "My good friend Diego has a really great school of music. I had a great time doing two master classes there, and he and my wife Michele became friends forever. Miss you Diego."
    Colin Bailey
    Drum Legend
  • "A bateria, como bem sabem os fãs do jazz, já produziu nomes notáveis: Baby Dodds, Jo Jones, Gene Krupa, Buddy Rich, Max Roach, Elvin Jones, Art Blakey, Roy Haynes, Tony Willi..."
    Moacyr Scliar
    Escritor e médico

Upcoming Events

No upcoming events